quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Ano Novo cheio de Confiança

video

Nós não temos a praia do Leblon mas temos a av. das Esmeraldas e o Confiança.
Foi ele, o Supermercado Confiança quem nos proporcionou uma bela noite de queima de fogos no dia 30/11 que literalmente parou o trânsito e renovou a alegria de todos que estavam por lá.
Show pirotécnico dos melhores, variedade de fogos que passaram pela bateria de rojões anunciando o espetáculo, depois seguiram as chuvas de prata e as grandes estrelas formadas lá no alto, bem lá no alto, pelos rojões de longo alcance.
Foi legal porque além da queima de fogos tinha também o sorteio de um carro e uma moto e as pessoas levaram cadeiras de praia, sentaram-se ao longo da avenida, compraram sorvetes e pipocas, tomaram suco, água de coco e teve gente que até brindou com champanhe.
Em 2010 outros supermercados poderiam fazer a mesma coisa, ficaria bem legal, uma queima de fogos na zona norte, outra na zona sul e assim por diante.
Mas é assim que recebemos 2010, com fogos, com cores e muita alegria e, é claro, com muita CONFIANÇA de que será uma ano muito bom.

Uma frase para a passagem do ano: "Peça a Deus aquilo que você realmente precisa pois aquilo que você QUER é o que pode ser conseguido através do trabalho e da perseverança".
E vamos em frente porque logo ali vem gente...

sábado, 26 de dezembro de 2009

Histórias de Natal e de gente feliz


Tudo começou porque a filha teve um problema sério no útero. Na época estava com 13 anos de idade e, diagnosticado o problema a solução encontra foi uma aplicação de um medicamento forte e deveria ser feito na cidade de São Paulo.

Da. Tereza Fagionato, a mãe, ficou desesperada ao saber que a injeção poderia sim curar a doença mas também teria efeitos colaterais sérios, entre eles, o fato da menina corre o risco de não crescer mais.

Diz a mãe: “nestas horas a gente se apega com Deus”. A promessa feita e a viagem acontece.

Na capital o médico examina a menina e dá a notícia de que o problema estava sanado, ou seja, a menina estava curada e não seria preciso mais aplicar a injeção. Da. Tereza contou que foi duro encontrar a porta de saída do hospital porque a emoção tomou conta.

Da capital pegaram o primeiro trem que seguia para Aparecida do Norte, hora de pagar a promessa. Foi lá que compraram o primeiro presépio da menina curada pelo milagre e a partir deste dia firmaram propósito que nunca mais deixariam de montar presépio em todo Santo Natal e abrir as portas da casa para receber as visitas.

Seu Fernando, o pai, era daqueles que gostava de lidar com sucatas e aproveitar tudo que podia e o pequeno presépio foi ganhando novos personagens e movimento. Com um motor de geladeira e um monte de roldanas de madeira e elásticos ele foi “dando vida” a cada um dos bonecos. Após a sua morte, a filha e um sobrinho estão dando continuidade ao projeto que é montado num canto da acolhedora sala de visita da casa que fica na rua Euclides da Cunha, 439.

O mais gostoso disso tudo é saber que a família não tem medo de deixar a porta aberta e receber os visitantes. No ano passado, depois que a Globo passou na televisão (palavras da filha) o movimento de pessoas aumentou e foram mais de 3.000 visitantes.



Hoje eu aprendi mais sobre fé e sobre a vida. Natal é isso, é deixar a porta da casa aberta, é receber pessoas que você nem mesmo conhece, é acreditar na vida, compartilhar histórias e milagres.



Nas manchetes de hoje dos principais jornais da cidade está a notícia sobre a saidinha dos presos (quase 400) e o perigo que isso representa para sociedade.



Dona Tereza e sua família moram na mesma cidade que eu moro, a cidade que fica alerta e assustada com estranhos que andam pelas ruas neste período da saidinha.

Mas é assim todos os anos, eles deixam a porta aberta e mesmo que um destes irmãos apareça por lá é certo que ele vai encontrar uma boa acolhida e pode até ganhar um pedaço de panetone e um copo de Cerezer.



Olha dona Tereza, eu quero dizer que sua casa é na verdade um grande presépio. Feliz Natal!

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Entre o rio e as abelhas do Lau

Muito bom retornar. Por força das obrigações da profissão e dos vestibulares, fiquei fora do ar por um tempo (quase um mês). Até as fotos foram poucas neste período.

Pra dizer a verdade, no feriado que passou eu me arrisquei a ir até o Rio Tibiriçá para registrar a cheia em razão das fortes chuvas Nos poucos quilômetros que separam a cidade do rio, encontramos três acidentes com veículos, tudo em razão das fortes chuvas.

Mas a foto aconteceu e foi parar no Google para que todos conheçam este pedaço de mundo que também transborda e acaba interrompendo o fluxo de veículos.

De um lado, prejuízos e alguns incômodos em razão das enchentes, do outro, tá tudo verdinho, capim alto para o gado comer por um bom tempo e promessa de ano farto pela frente.

Ah sim, tem outro problema que a gente nem se liga mas que vai afetar a nossa vida, lá na frente dos tempos.

O Lau (Wenceslau), amigo prendado na tesoura e no corte dos cabelos é também apicultor. Enquanto me ajeitava o pé do cabelo ele contou que foi visitar as colméias que ele tem lá pelas bandas do rio do Peixe, ele e mais alguns amigos.

O objetivo era colher o mel da florada passada, dar um trato nas caixas e deixar tudo prontinho para a próxima florada. Deu zebra.

As chuvas constantes estão literalmente lavando as flores e, com isso, o pólen não está tão disponível como seria preciso para manter a produção regular de mel. Como a lei natural prevalece nestes casos, quem não produz, consome o que produziu quando o tempo estava mais seco. A solução foi fechar as caixas e bater em retirada.

E para completar nossa seção natureba de hoje eu recomendo a leitura do especial da Folha de São Paulo – Empreendedor Social, que traz excelente matérias sob o título “Semeadores por Natureza”.

O caderno conta histórias de gente que se completou profissionalmente e se realizou como pessoa e cidadão depois que decidiu dedicar parte do seu tempo em projetos sociais, são os chamados empreendedores sociais.

Olha só uma das chamadas: Chef de cozinha corre o mundo para descobrir no Brasil sua receita favorita: ajudar jovens a pilotar a vida.

Vamos nessa!